Header Ads

“Por muitos anos, vimos os jornalistas brasileiros lidarem com várias questões relativas à insegurança, que vão desde grupos criminosos que tentam silenciá-los até empresários e autoridades públicas corruptas que discordam com aquilo que eles reportam”

- Hannah Storm, diretora do International News Safety Institute (INSI)

Polícia Militar do Piauí lança edital com 400 vagas para formação de soldados

Policias irão atuar no interior do Estado. 10% das vagas são destinadas às mulheres e inscrições começam na segunda-feira.


A Polícia Militar vai lançar nesta sexta-feira (10) o edital do concurso para a formação de soldados, que deverão iniciar o curso de formação ainda este ano para atuar no interior do Piauí. Ao todo, vão ser abertas 400 vagas, sendo 10% delas destinadas para o público feminino. As inscrições serão no valor de R$ 80,00 e começam na próxima segunda-feira (13). A informação é do comandante-geral da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos Augusto Sousa.
O certame foi autorizado pelo governador Wellington Dias no último dia 17 de fevereiro. Os aprovados serão ainda incorporados ao efetivo ainda em 2017. O concurso será divido em três etapas que consistem nas provas, teste físico e o curso de formação, que tem duração de seis meses. 
A função requer certificado de ensino médio emitido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação e reputação ilibada dos aprovados. A remuneração inicial, para o cargo de Soldado (PM) é de R$ 2.047,63.
O ultimo concurso da Policia Militar foi realizado em 2013 e contou na época com 430 vagas, sendo 30 para oficial com nível superior e 400 para soldado. Ambos os sexos foram aceitos no processo seletivo. A organizadora foi a NUCEPE e os candidatos foram avaliados por prova escrita objetiva, exame de saúde, teste de aptidão física, exame psicológico e investigação social.
Coronel Carlos Augusto Sousa, comandante da Polícia Militar do Piauí (Foto: Jailson Soares/Arquivo O Dia)
O objetivo do concurso é reforçar o efetivo da PM do Estado, que atualmente é composto por 6 mil homens, divididos entre as funções de guarda patrimonial, atividades institucionais, inteligência e policiamento ostensivo. Para o coronel Carlos Augusto, o número de policiais no Piauí ainda não é suficiente para atender a toda a demanda.
“Nós temos batalhões em todos os municípios, sem exceção, mas temos que reconhecer que o número ainda está aquém daquilo que realmente podemos considerar como ideal. O que nós temos feito é trabalhar com aquilo que temos, adquirir viaturas novas, investir em treinamento, investir em materiais adequados. O desafio é potencializar as ações da Polícia Militar e é nesse sentido que estamos abrindo concurso”, destaca o coronel Carlos Augusto.
O comandante-geral diz ainda acreditar que a violência não está relacionada apenas com o efetivo da polícia, mas principalmente com a ausência de políticas públicas voltadas para a prevenção da prática criminosa e a ocupação de jovens em situação de risco.
Segurança
Questionado sobre o episódio ocorrido no concurso da Polícia Militar de 2015, em que um PM foi acusado de vazar as provas do certame, o coronel Carlos Augusto destacou que o erro não voltará a se repetir. “Estamos trabalhando em vigilância constante com a Inteligência da PM e da Polícia Civil, fazendo um acompanhamento intenso para garantir toda a lisura do processo”, afirmou o comandante-geral.
Fonte: Portal O Dia.

Nenhum comentário

Comente mas não aumente

Todos os direitos autorais reservados a Ricardo Valle. Tecnologia do Blogger.