Header Ads

“Por muitos anos, vimos os jornalistas brasileiros lidarem com várias questões relativas à insegurança, que vão desde grupos criminosos que tentam silenciá-los até empresários e autoridades públicas corruptas que discordam com aquilo que eles reportam”

- Hannah Storm, diretora do International News Safety Institute (INSI)

Nível da água as margens da Lagoa do Cajueiro (Patu) dificulta o comercio e a ida de alunos a escola.

A região Norte do Piauí teve uma semana de chuvas fortes segundo a meteorologia. Durante o final de semana choveu bastante e algumas localidades chegaram a registrar alagamentos, cujo comercio ficou comprometido, ou seja, completamente alagado após muitas horas chovendo. 

Bico do Patu- Vista antes das enchentes.
Devido as fortes chuvas na região Norte do Piauí, o nível de água às margens da Lagoa do Cajueiro, em Luzilândia, subiu. O local que é conhecido como Bico do Patu, ponto turístico muito visitado na região norte do estado, o mesmo se encontra alagado. A associação Peixe Bom do Bico do Patu na região da lagoa do cajueiro oferece lazer aos banhistas, uma boa comida, peixe, camarão, e outros pratos típicos da culinária local, e bebidas em geral. 

O espaço da lagoa do cajueiro Bico do Patu tem organização de João Evaristo, e é aberto ao publico todos os dias, mas recebe um numero maior de visitantes aos finais de semana. No verão ou após as chuvas, um lugar super agradável com banho em águas rasas e uma variedade de peixes e carnes, são exclusividade do local. Situado entre as cidades de Luzilândia e Joaquim Pires, mas pertence ao lado “Luzilandense”, localizado nas proximidades do DNOCS. 

Paraíso do nosso estado em que vale a pena conhecer. Mas que devido as fortes chuvas que foram registradas nos últimos dias na região, o nível de suas águas aumentaram rapidamente, dificultando o acesso ao local, bem como a ida das crianças que moram em seu entorno à escola, para isso precisam pegar uma canoa e atravessar a estrada de terra, agora coberta pelo mar de água que se formou. No local vivem vários pescadores, que dependem do comercio, de onde tiram o sustento de suas famílias.


 “Sempre que tem chuvas fortes como essas, a água sobe e invade as margens, e isso diminui bastante a visita e nossas vendas. Procuramos manter sempre a limpeza para evitar esse problema. Mas contra as forças da natureza, é inútil lutar. Perdemos visitas, e consequentemente algumas vendas, em algumas situações não tivemos com atender os clientes, pois fica inviável o acesso ao local”, disse uma das comerciantes locais a nossa equipe. 

O nível de água dificulta o comercio e o acesso à escola, como mostram as fotos abaixo:

 
 
  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: Blog Na Mira da Mídia.
 

Nenhum comentário

Comente mas não aumente

Todos os direitos autorais reservados a Ricardo Valle. Tecnologia do Blogger.