Header Ads

“Por muitos anos, vimos os jornalistas brasileiros lidarem com várias questões relativas à insegurança, que vão desde grupos criminosos que tentam silenciá-los até empresários e autoridades públicas corruptas que discordam com aquilo que eles reportam”

- Hannah Storm, diretora do International News Safety Institute (INSI)

Há 3 meses sem receber, concursada envia carta aberta a Prefeito Ronaldo Gomes

Desde que assumiu a Prefeitura de Luzilândia, um dos maiores entraves encontrado pelo prefeito Ronaldo Gomes em sua administração é um impasse sobre o Concurso realizado em Luzilândia. A ex-gestora Ema Flora publicou 13 editais de convocação, e o Prefeito entrou na Justiça alegando aumento irregular   dos   gastos   com   pessoal   enquanto   o   município deveria promover seu reequilíbrio financeiro. Desde então, segundo a autora da carta, os concursados vivem o dilema de trabalhar, sem a certeza se irão receber seus salários.

Foto: ASCOM PML


A situação mais complicada é a dos concursados das duas ultimas chamadas, realizadas após a eleição, eles não recebem há três meses, mesmo cumprindo seus expedientes normalmente. Agora ambas as partes esperam a decisão do TCE sobre o impasse.

De acordo com o advogado Gilberto Jr o parecer do comitê técnico do TCE, que analisou o processo, é favorável aos concursados pois, mesmo sem a anulação do decreto de suspensão cautelar do concurso, devido os gastos alegados pelo atual gestor, esse não poderá contratar servidores que não sejam concursados, mas  o gestor teria em seu quadro de funcionários contratados sim, deixando de cumprir o que se exige a lei. Ronaldo Gomes nega que tenha contratados em sua Administração, essa foi uma de suas falas na sessão de abertura dos trabalhos da câmara municipal. 

A carta que fala sobre o estado de insegurança e dificuldades enfrentadas pelos concursados convocados na última chamada.


Veja o que dizia a carta:

Ao Excelentíssimo Prefeito Ronaldo Gomes




Luzilândia- 02, de março de 2017




Aqui quem escreve é um dos concursados do último concurso de Luzilândia.

Por meio desta, venho falar para o Senhor a respeito de toda a situação que estamos vivendo.

Para todo mundo passar em um concurso e ter estabilidade financeira é um sonho, mas desde dezembro de 2016 este sonho virou pesadelo, pois tivemos a triste noticia da suspensão cautelar do concurso. Todos ficamos desolados e desde então estamos vivendo uma insegurança sem fim. Porque o nosso futuro é incerto e muitos de nós dependemos desse emprego para sobreviver financeiramente.

No dia 02/01/2017 no seu primeiro dia como prefeito, o seu assessor jurídico “tocou o terror” em todos nós, com palavras que nos deixaram com medo, mas também com mais vontade de lutar por nossos direitos. Porque Senhor Prefeito, nossos cargos foram obtidos com trabalho duro, coisa que só quem estuda para ter estabilidade em um concurso público pode entender.


Nós da última chamada estamos trabalhando há três meses sem receber nossos vencimentos, muitos passando necessidade e tendo dificuldade até para nos deslocarmos de nossas cidades até Luzilândia para exercemos nossas funções, pois muitos, assim como eu, não residem nesta cidade. Além de não receber, temos que gastar para poder trabalhar na esperança de obter um provento no fim do mês. É Senhor prefeito, nós estamos vivendo de Esperança.


O senhor como prefeito deveria zelar pela população que lhe elegeu a esse cargo e também porque não o elegeu, porque você é prefeito da cidade e não somente de quem votou em você. Mas esse seu cargo, se não fosse muitos desses concursados que hoje são perseguidos, o senhor não estiaria exercendo. Digo perseguidos sim, porque é isso que está acontecendo conosco desde que o senhor ganhou a eleição.


O senhor quando Vereador (e presidente da câmara) e seus aliados, brigaram tanto para ter um concurso nesta cidade, então o concurso foi planejado e executado, mas quando o senhor se candidatou e conseguiu se eleger, você e seus aliados resolveram por na justiça para anular a chamada dos classificados alegando haver irregularidade. Mas lhe pergunto por que o senhor quando apenas vereador não denunciou, ou se denunciou porque não se manteve tão empenhado quanto agora? Sua função era fiscalizar os atos da ex-prefeita, mas não o fez antes. Por que agora, Senhor Prefeito?


O que estamos sabendo é que o senhor não queria que a senhora Ema Barbosa convocasse a todos os classificados porque você queria fazer isso. Mas se vai fazer mesmo, então porque está tão empenhado em nos tirar de onde já estamos? O senhor alega no seu processo que não havia vagas suficientes para todos os classificados, mas se não havia vagas, então porque tantos contratados no município? Porque temos provas que existem sim contratados, mesmo você negando. Alguns alegam “politicagem”, a sua assessoria diz que não, mas como acreditaremos se os seus atos mostram o contrário!?


O que o senhor está fazendo com todos os concursados, mas principalmente com os da última chamada, não é ato de um Prefeito que se importa com sua população.


No dia 22/02/2017 ocorreu uma pequena manifestação dos concursados, um rapaz chamado Sousa el Shalom, que até onde sabemos é seu assessor de comunicação, chamou a todos de palhaços, dizendo que só estavam participando os do “14”, digo ao senhor que muitos não tem um partido politico em Luzilândia, mas sendo contra ou a favor de seu Governo, todos lutamos pelo mesmo direito, que é o de trabalhar e receber.


Muitos dos que passaram neste concurso são seus eleitores, e lhe garanto que todos estão extremamente decepcionados com suas atitudes, e principalmente com as dos seus assessores que tratam boa parte da população com superioridade e arrogância. Sendo assim acho que o senhor deveria se preocupar em ter uma assessoria melhor, porque eles podem acabar com sua reputação, e se nas próximas eleições o senhor queira se eleger novamente, então lhe aconselho a agir certo no tempo certo, para depois poder contar com toda essa população que lhe confiou este cargo.


Quanto ao salário que nós da ultima chamada não estamos recebendo e também outros concursados que só recebem quando os seus assessores querem, gostaria que o Senhor se colocasse no nosso lugar, Senhor Prefeito. Não é questão política que nos move, não é capricho e nem falta do que fazer, é necessidade de ter o provento para manter nossa família, é por justiça, porque se existe erro em toda essa história não fomos nós que comentemos, por que temos que pagar o pato? E você senhor Prefeito, é o único que poderia fazer diferente, tomar a atitude certa. Eu lhe pergunto, o Senhor acha certo que famílias passem necessidades por caprichos seus e dos seus assessores? Pense nisso. 




Att.:




Concursados da última chamada


Espero a resposta com suas palavras e não com a de seus assessores.


A autora da carta pediu para não ser identificada.


FONTE: Da Redação do Clica Luzilândia.

Nenhum comentário

Comente mas não aumente

Todos os direitos autorais reservados a Ricardo Valle. Tecnologia do Blogger.