Header Ads

“Por muitos anos, vimos os jornalistas brasileiros lidarem com várias questões relativas à insegurança, que vão desde grupos criminosos que tentam silenciá-los até empresários e autoridades públicas corruptas que discordam com aquilo que eles reportam”

- Hannah Storm, diretora do International News Safety Institute (INSI)

Carros com paredões de som estão proibidos no litoral do PI

A Polícia Rodoviária Federal vai auxiliar a Delegacia do Silêncio a fiscalizar os casos de poluição sonora no litoral do Piauí. Os veículos com paredões de som internos ou externos serão impedidos de entrar nos municípios e podem ser apreendidos, caso o condutor se recuse a retirar o equipamento.
"O secretário de Segurança Pública [Robert Rios Magalhães] determinou que a equipe do Silêncio viajasse ao litoral para impedir a poluição sonora. O veículo flagrado será encaminhado ao pátio do Detran e as barreiras serão montadas a partir de amanhã [27], especialmente em Luís Correia", esclareceu o delegado do Silêncio, Evaldo Farias.
O delegado acrescentou ainda que, para não deixar os ocupantes dos veículos a pé, será dada a possibilidade de não apreender o carro, caso o paredão de som seja retirado e retido. "Se a pessoa se recusar a retirar, teremos que apreender o carro. Aí o caso vai para a justiça e, em média, o veículo fica apreendido de três a seis meses".
Evaldo Farias chamou atenção para o fato de que 90% das ocorrências atendidas pelo Ronda Cidadão estão relacionadas à poluição sonora e perturbação da ordem pública. "A população em geral acha que é um crime banal, mas a população que denuncia é de pessoas que não conseguem dormir e depois não consegue trabalhar", explicou.
De acordo com a lei, o crime pode levar de 2 a 4 anos de reclusão. "Acabou o período de instrução, agora vamos aplicar as penalidades", declarou o delegado. Os números para denunciar os casos de poluição sonora ou perturbação da Ordem Pública são: (86) 8823-6768, 3222-8611, 8165-6724.

Nenhum comentário

Comente mas não aumente

Todos os direitos autorais reservados a Ricardo Valle. Tecnologia do Blogger.