Header Ads

“Por muitos anos, vimos os jornalistas brasileiros lidarem com várias questões relativas à insegurança, que vão desde grupos criminosos que tentam silenciá-los até empresários e autoridades públicas corruptas que discordam com aquilo que eles reportam”

- Hannah Storm, diretora do International News Safety Institute (INSI)

Manifestações lotaram ruas em Teresina e das principais cidades do Piauí

A manifestação aconteceu em Teresina e nas cidades do interior como Parnaíba, Picos, Floriano, Piripiri e Esperantina. A avaliação geral da Polícia Militar é que o movimento foi pacifico, com poucos excessos ou atos de vandalismo. A PM monitorou todas as ações com observadores e com o uso de câmeras de trânsito.
Em Teresina, um grupo se deslocou da Avenida Frei Serafim para frente da Prefeitura de Teresina e seguiu para a Avenida Maranhão, onde quebraram os vidros de um ônibus da empresa Barroso. Os comerciantes temendo atos de vandalismo ou depredação fecharam as portas e o comércio parou.
Por precaução, a PM/PI fez isolamento dos prédios públicos que poderiam ser alvo dos manifestantes: Palácio de Karnak, Palácio da Cidade e Assembléia Legislativa. A PM apenas acompanhou os manifestantes, mas, segundo o tenente coronel Sá Júnior, estava preparada para agir, se fosse necessário.
Para controlar a movimentação no centro da capital, o Comitê monitorou todas as imagens colhidas através das câmeras da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans), distribuídas por todo o trajeto da Avenida Frei Serafim. Além disso, foi disponibilizado um disque denúncia para que manifestantes pudessem comunicar qualquer tipo de excesso presenciado durante a ação.
Na cidade de Parnaíba, litoral do Piauí, a manifestação aconteceu na Avenida São Sebastião. De acordo com a Polícia Militar, cerca de dois mil manifestantes participam do movimento, que seguiu de forma pacífica.
Centenas de pessoas também foram para as ruas em Floriano. As pessoas portavam cartazes e reivindicavam melhorias na Saúde, Educação e Segurança. O mesmo se repetiu em Esperantina, Piripiri e Picos.
Em Piripiri a população ainda cobrou transporte e protestou contra a corrupção. As cidades circunvizinhas foram convidadas a participar do movimento.
O movimento foi totalmente apartidário e os manifestantes que apresentaram bandeiras de partidos durante a manifestação, tiveram as bandeiras tomadas e rasgadas ou queimadas. Em Teresina, os manifestantes tomaram a bandeira do PCO (partido da Causa Operária) da professora Lourdes Melo, que tentava aproveitar o movimento para fazer suas reivindicações.

Nenhum comentário

Comente mas não aumente

Todos os direitos autorais reservados a Ricardo Valle. Tecnologia do Blogger.