Header Ads

“Por muitos anos, vimos os jornalistas brasileiros lidarem com várias questões relativas à insegurança, que vão desde grupos criminosos que tentam silenciá-los até empresários e autoridades públicas corruptas que discordam com aquilo que eles reportam”

- Hannah Storm, diretora do International News Safety Institute (INSI)

Dançar balé e zouk ajuda a melhorar a flexibilidade e o equilíbrio do corpo

Recentes

A dança faz bem para o corpo, ajuda a perder calorias e a melhorar a consciência corporal. Veja como dançar dois estilos completamente distintos, mas que se assemelham porque melhoram a flexibilidade e o equilíbrio do corpo: o balé e o zouk. A diferença entre eles está no movimento: o balé, para dançar sozinho, é mais suave e o zouk, para dançar a dois, é mais agitado e sensual. Quem ensinou os passos no programa foram os professores Keila Fuke, de balé, e Philip Miha, de zouk.
A palavra “zouk” significa “festa” e o estilo de música teve origem no Caribe. No Brasil, substituiu a lambada, que tem a mesma marcação rítmica. No entanto, a melodia do zouk pede movimentos mais sensuais e suaves. Em uma hora de aula, a dança pode gastar de 400 a 500 calorias, mas existem pessoas que conseguem queimar até 800 calorias. As partes do corpo que mais se movimentam nessa dança são os membros inferiores, a região abdominal e a cabeça. Além disso, o zouk trabalha o alongamento, a coordenação motora, o condicionamento físico e ainda deixa os músculos definidos. No caso dos homens, o abdômen e a cabeça não se movimentam tanto, mas é preciso agilidade para dançar com a mulher. Ao contrário do zouk dançado no Caribe, a dança brasileira se assemelha mais aos passos da lambada e é realizada mais lentamente. Mas o ritmo está presente em outros países também, como na Angola, onde é dançado mais de pertinho, mais lentamente, como se fosse um bolero. Já o balé surgiu na Itália e era dançado nas festas do Rei Luís XIV. A dança evoluiu até surgir o balé clássico, o balé moderno e o contemporâneo. Até alguns anos atrás, o ritmo era visto como vilão da saúde por exigir demais dos dançarinos que acabavam com os pés machucados. Mas, se praticado da maneira correta, o balé pode trazer benefícios e trabalhar o impacto, a musculatura, a postura e o alinhamento corporal. Além disso, pode dar leveza ao corpo e ajudar a desenvolver consciência corporal.

Nenhum comentário

Comente mas não aumente

Todos os direitos autorais reservados a Ricardo Valle. Tecnologia do Blogger.