Header Ads

“Por muitos anos, vimos os jornalistas brasileiros lidarem com várias questões relativas à insegurança, que vão desde grupos criminosos que tentam silenciá-los até empresários e autoridades públicas corruptas que discordam com aquilo que eles reportam”

- Hannah Storm, diretora do International News Safety Institute (INSI)

Vacinação contra a gripe termina sexta-feira

Esta sexta-feira, dia 26 de abril, é o último dia da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Devem se vacinar idosos com mais de 60 anos, crianças de seis meses a dois anos, indígenas, gestantes, mulheres no período de até 45 dias após o parto (em puerpério), pessoas privadas de liberdade, profissionais de saúde, além das pessoas que têm doenças crônicas do pulmão, coração, fígado, rim, diabetes, imunossupressão e transplantados.
Até as 9 horas desta terça-feira (23), foram imunizadas 12,3 milhões de pessoas, ou seja, 33,73% dos 39,2 milhões de brasileiros que compõem esses grupos prioritários, incluindo os doentes crônicos e pessoas privadas de liberdade. A meta da campanha, que começou dia 15 de abril, é vacinar 80% do público-alvo.
''Ano passado, o Brasil foi o único país da nossa extensão, do nosso tamanho, que chegou a 80% de cobertura vacinal nos grupos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Nós queremos superar a cobertura do ano passado e vacinar ainda mais", lembra o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. A vacina contra a gripe é segura e a forma mais eficaz para evitar complicações, internações e até mesmo óbitos por gripe. A vacina protege contra os três principais vírus que circulam no inverno passado (A/H1N1; A/H3N2 e B).
"O prazo está acabando e o inverno chegando. E no inverno, sempre há a circulação dos vírus da influenza, com a possibilidade de ocorrência de casos graves naquelas pessoas mais vulneráveis. Então, as pessoas precisam se proteger com antecedência, pois a produção dos anticorpos protetores se dá, em média, entre duas e três semanas, após a vacinação", alerta o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa.
A região Sul conseguiu a maior adesão da população. Foram vacinados quase 2,4 milhões de pessoas, representando 51,16% de cobertura. Em sequência, a região Centro-Oeste conseguiu vacinar 701.669, ou 32,01% do público-alvo. A região Sudeste, por sua vez, vacinou 4,3 milhões de pessoas, o que representa 31,14% do total. Já na região Norte, pouco mais de 722.014 foram vacinados, correspondente a 30,26% do total. A região Nordeste atingiu a menor cobertura, o equivalente a 29,54%, ou seja, 2,5 milhões de pessoas foram vacinadas.
Fonte: Agência Saúde

Nenhum comentário

Comente mas não aumente

Todos os direitos autorais reservados a Ricardo Valle. Tecnologia do Blogger.